Follow by Email

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Animais alérgicos

FOTO: LAR ENCANTADO
Eu não acreditei até os exames médicos veterinários e  as dificuldades respiratórias da minha gata deixarem claro que a situação não era brincadeira. A gente costuma achar que são bichinhos de pelúcia; que eles não possuem doenças graves, porque se admitirmos, ficará claro o quão parecido com os seres humanos eles são. E isso nos deixa, no mínimo, ansiosos e apreensivos, impotentes, pois aquilo que não conhecemos, costumamos temer.
A primeira vez, eu não possuía em mãos um exame detalhado. sobre alergias. Possui um diagnóstico de tosse como resquício da rinotraqueíte (doença comum em gatos que se evita com vacinas). 
Apenas fazia inalações colocando a gata dentro de uma caixa de transporte, fechando com uma fralda os buracos por onde pudessem sair o vapor e ligava o aparelho de inalação próximo a caixa de transporte, tudo isso para melhorar a tosse dela, prescrição médica, sempre. Também tratei-a com homeopatia e pareceu no início, responder bem.
Daí um dia, a Nani tossiu tanto durante a inalação que ficou semi desmaiada. Sua boca estava roxa assim como sua língua e ela gemia. Corremos como quem corre da morte (literalmente) e caímos num pronto socorro veterinário onde fiquei com ela por algumas horas. Nos dias que seguiram também, chegamos a quase perdê-la no transito de São Paulo (eram 8:00hs da noite). Ficamos impotentes, desanimados e mais pobres. Ai encontramos um veterinário, indicado por minha veterinária,  especialista em gatos (talvez o melhor do Brasil) que conseguiu estabilizá-la. Ela toma altas doses de cortizona eu sei, mas está viva e com uma qualidade de vida excelente. È claro que a vida e a rotina mudou. Ninguem entra fumando em casa. Não uso um incenso  há 6 anos, tenho adrenalina e agulha e seringa que ficam à mão se precisar. Alugo tanque de oxigênio quando chega o inverno, com direito à mascara (compre de criança). No início eu pirei, pesquisei sobre asma, sobre alergias (ela é alérgica a peixe, acredite) Isso tudo me deixou alerta, mais naturebas, mais consciente da qualidade do ar (temos umidificador para dias secos). E ganhei com isso: conhecimento, um ar melhor dentro de casa. Moramos em local muito poluído e assim, conseguimos tirar um pouco da poluição provocada por nós mesmos. E por isso passo a vocês minha experiência:
  • cuidado com incensos, fumaça de cigarro, charuto, cachimbo,  cheiros de tintas de paredes ou portas,  que são horrorosos para os seres humanos e crianças, pois AFETAM e muito também os animais de estimação.
  • pensem em todos da casa: produtos de limpeza sem origem, tintas cujos fabricantes sequer tem comprometimento com o ambiente. Devem ser evitadas. Existem particulas de produtos químicos que ficam pairando no ar por anos, nos causando tosse, alergias, noites mal dormidas sem sabermos o motivo
  • venenos para mosquitos que são colocados na tomada: após anos, descobri que minha gata era alérgica a piretróide, que é a substância desse produto.
  • plantas e árvores nas  proximidades de quartos e salas: certifique-se que essa espécie pode conviver tão próximo desses locais onde descansamos. Não se trata de odiar árvores e sim, saber mais e mais sobre espécies adequadas para plantar em determinados lugares.
  • uso indiscriminado de produtos de limpeza, com o objetivo de que deixem cheiro "agradável" em casa e nas roupas. Eu costumava abusar de amaciantes e sabões em pó. Tudo isso ter partículas que ficam suspensas no ar. Use menor quantidade e prefira produtos orgânicos. Vejam a postagem limpeza ecologia da casa, nesse blog. 
  • desinfetantes a base de creolina ou cloro (água sanitária) muito utilizados para lavagem de quintais onde ficam animais, costumam machucar as patas (coxim) de cães e  gatos que ficam com seus focinhos e patinhas diretamente no lugar que acabou de ser limpo, ainda molhado. 
  • produtos para matar pulgas e para pulverizar em casinhas e quintais. Extremamente tóxicos, muitos deles são para controle de parasitas em bois e cavalos, são diluídos sem critério, causando até cegueira permanente em cães e, ainda, a água que corre contamina tudo por onde passa até chegar no destino dela
  • quer fazer prevenção contra pulgas e carrapatos? Só o veterinário pode te falar. Eu aprendi a lição. O dinheiro que foi gasto tentando salvar a vida da Nani, poderia ajudar muitos outros animais das ruas. 
  • Uso indiscriminado de mata pulgas, baratas, moscas e mosquitos. Prevenção é a palavra de ouro. Mantenha a casa limpa, pesquise sobre plantas e produtos naturais (plantar citronela em vasos e colocar no quintal ou dentro de casa, velas de andiroba e citronela)  e faça essa barreira natural. Estamos acabando com as joaninhas, borboletas, mariposas, abelhas e outros. Eles também merecem viver.  O planeta agradece. Seus bichos e sua família também.

2 comentários:

Mírian Martins disse...

Elaine, adorei esse post!!
Ele me fez refletir muito.
Peço a sua autorização para postar no meu blog felino pra fins de conscientizar as pessoas, lógico que colocarei os devidos créditos.
beijo grande.

S. Thot disse...

Incrível sua experiência com o gato. Tenho duas (Brigite e Ághata) e achava que elas davam trabalho. O seu requer cuidados que afetam a vida de todos e é preciso uma grande dose de desprendimento e amor para colocar nosso conforto de lado em prol de um ser indefeso e do qual juramos cuidar.

Parabéns à todos de sua casa.