Follow by Email

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Blogagem Coletiva - Fases da Vida - Morte

A morte é o fim. Ou o começo de tudo para meus amigos e parentes espiritualistas. Em cada religião temos uma versão. Gosto e respeito muito essas versões pela própria diversidade e diferenças entre si que elas possuem.  .

Outro dia perguntei ao meu irmão (Kardecista) para onde irei, segundo o espiritismo.
Ele me disse que todos iremos para o umbral, pelo menos por um espaço curto do tempo. Ai eu disse: nem pensar, vou para o País de Verão. Não gosto desse jeito triste, medonho, escuro, cheio de culpa que vocês acham que precisamos passar. Ele calmamente escutou e eu pude ler seus pensamentos: ai! ai! essa minha irmã dará trabalho no umbral, preciso rezar mais!!! ;-)

Percebem? Até na hora da morte existem sistemas, maneiras de como devemos nos comportar além da vida. 

MAS, cá pra mim, prefiro esperar pela Deusa. Sua face escura, de ceifeira aparecerá para mim na hora certa! E acredito do fundo do coração, que os demais irão para onde acreditam!!! Sério. Não é possivel para mim conceber uma ideia de dedicação a sua religião por uma vida toda, de amor ao seu Deus, seguindo suas doutrinas, suas crenças e depois irão para outro lugar! Cada religião tem seu percurso e pode (e deve) acalentar o desejo de morte de seu discipulo!

Penso que a morte é a renovação do ser, que morremos todos os dias, assim como  nossa pele e nosso cabelo se transforma, tudo em nós se modifica morrendo para renascer novamente, refeitos, mais bonitos, melhores.  O que éramos ontem, hoje já nos transformamos. Isso também é morte: mudanças, modificações, deixar ir.  

Dentre muitas coisas que aprecio na minha religião, uma delas é como se encara a morte. E que temos que pensar nela todos os dias, não como uma coisa aterrorizante e sim como uma fase, ou passagem da vida. Morte e Vida. Uma faz parte da outra e de um ciclo infinito: Vida, Morte,  Renascimento.

Desde então, costumo pensar sobre a falta que farei, sobre o que posso melhorar em vida, e como "me comportarei" nesse momento tão temido, mas que é a única certeza da vida.

É essa minha contribuição. Pra finalizar:

Talvez até lá,  eu esteja velhinha, cansada, ou doente, meus amigos e parentes já não existam mais e eu fique um pouco ranzinza,  saudosa, além de não conseguir acompanhar a evolução rapida do mundo com sua magnitude nas informações, nos padrões de comportamento. Talvez eu fique fora de moda,  e queira ir embora,  deixar esta vida, descansar, dar lugar ao novo,  voltar para os braços da Deusa e esperar pela nova missão no renascimento.


foto LAR ENCANTADO
A receita muito simples para nos mantermos saudáveis: legumes orgânicos no vapor, acompanhados de arroz integral. 

20 comentários:

remall disse...

e na receita ainda acrescente muito amor.

Elaine, estou passando isso aqui em casa, pois a sua conclusão , é como se encontra minha mãe;
cansada, doente e só esperando...
e assim como vc vou na vida, me cuidando, fazendo o que gosto, seguindo nos conceitos do amor a mim mesma e aos todos outros que habitam o planeta, fazendo o bem, morrendo e renascendo todos os dias.

perfeito seu texto, para ler e reler.

Orvalho do Céu disse...

Querida Elaine
"...um ramo de jasmins todo orvalhado"...
(Amara)

Vc foi muito leve a encarar um tema denso... parabéns!!!
À morte diária eu também me detive...
Os saudosos do nosso coração... se foram pra nos preceder noutra dimensão mais sem véus... sem sombras... sem trevas... será um verdadeiro esplendor d'alma... um contemplar face a face o Senhor que nos deu e continuará a dar-nos vida...
Temos a esperança/certeza em nosso coração!!!

"Simpatia são dois galhos
Banhados de bons orvalhos"...
(Ieda)
Um maravilhoso mês de setembro, repleto de gotículas de orvalho!!!
Bjm de coração a coração pra VC...

http://espiritual-idade.blogspot.com/

Virginia Jesus Fassarella disse...

Elaine, essa diversidade entre religiões que me deixa a pensar! Só terei certeza quando passar por ela. Beijos.

Cristina Bortoli disse...

Bem, há pouquíssimo tempo passei por uma perda muito grande, ainda estou tentando lidar com isso. Difícil e dolorido, além de ser pela ausência, também pela finalização de sonhos e projetos, sonhados, acalentados e partilhados, que não se concretizarão.

Não vejo a morte como um fim, embora a sensação que eu esteja tendo é essa, e faz parte do meu processo de cura (luto) lidar com isso, aceitar, tornando mais leve esse peso.

Eu acredito na Terra do Verão, creio em reencarnação, no reencontro...

Sim, querida Elaine, a Roda gira, e vamos evoluindo, aprendendo, aceitando, compreendendo.

Beijos, querida, lindo post.

Gina disse...

Elaine,
Morte e vida são tão naturais, mas ainda estamos aprendendo a lidar com isso.
Gostei da abordagem de pensar sempre na morte, melhorando a vida.
A alimentação é um dos fatores de qualidade de vida.
E vamos em frente, porque a vida é maravilhosa!
Bjs.

Maria Luiza disse...

Parabéns pela sua participação e pela sua leveza ao encarar esse fato contundente! beijos!

Sun Flower disse...

Delícia de receita, concordo contigo amada, nada de sistemas e lugares frios e escuros já chega o planeta as pessoas cinzentas que nos deparamos enquanto vivos deste lado, mas quando vivos do lado de lá sem amarras que seja muito melhor na eternidade do espírito!

Flora Maria disse...

Também penso que cada qual cria seu céu particular.

Porém o que mais gostei no seu texto foi a decisão de viver melhor, ao pensar na morte. Também procuro agir assim.

Beijo

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Elaine querida,

Estamos sempre nos transformando.
Cada existência é uma nova forma de aprendizado, para assim podermos seguir evoluindo como Seres Divinos.
Morte apenas do físico, da matéria....pois o espírito segue sua trajetória.
Devemos aproveitar cada minuto para irmos lapidando cada vez mais nossa essência.

Parabéns por um texto tão profundo e reflexivo.

Um grande beijo em seu coração!!!

Alex disse...

Bom dia,

O irmão "Kardecista" (ai, ai, ai!) aqui está para informar que não o é, na concepção da palavra, mas, sim, ESPÍRITA, pois inexiste "doutrina kardecista" e, sim, "doutrina espírita" e que "umbral" significa PORTA, que nada mais é a que VOCÊ ABRE COM SEU ESTADO CONSCIENCIAL,para a vida espiritual (quando desencarna, pois todos somos ESPÍRITOS ENCARNADOS), que é claro, a vida causal, preexistente e sobrevivente a tudo. PORTANTO, NÃO TEMA A MORTE E NEM MUITO MENOS O UMBRAL, a não ser que você tenha medo de si mesma, aí é outro negócio, baby...

Sócrates - o filósofo, não o bêbado - dizia que devemos nos preparar todos os dias para ela - MORTE... Preparando-se para algo que não existe... Paradoxal, não?... Mas a Filosofia é assim mesmo, dá o que pensar... E o Espiritismo também dá o que pensar... Daí os espíritas serem espiritualistas, mas, NEM TODOS OS ESPIRITUALISTAS SEREM ESPÍRITAS, porque Espiritismo dá o que pensar... E nem todos estão dispostos a isto, pelo menos nesse momento da existência...
O mundo material em que vivemos poderia simplesmente NÃO EXISTIR, sem que um dédalo de vida espiritual jamais sofresse qualquer alteração. Assim, AS COISAS MATERIAIS APENAS "PODEM SER".
O Espírito, que enverga estes corpos - QUE SE VÃO, como as células mortas de nossa pele, os cabelos, etc, como você bem disse, E VOLTAM, a formar outros corpos - TUDO SE TRANSFORMA EM NA NATUREZA - "PODE VIR A SER", factível que o é de EVOLUIR, ELEVAR-SE espiritualmente, ou rebaixar-se, conforme seu proceder moral, mas jamais retrogradará, ao nível dos animais, por exemplo, pois nestes o instinto é soberbamente predominante, não possuindo pensamento contínuo, precípuo do reino hominal, pois seria um contra-senso da evolução e da própria Criação, POIS QUE, ATÉ MESMO AS CADEIRAS E AS MESAS, BEM COMO AS RECEITAS ANDAM EVOLUINDO!!!...

Alex disse...

As religiões ("religare", religar, o que anda ou andava meio DESLIGADO, com licença, claro, dos meus queridos MUTANTES!!!) que cada criatura professa - aqui e no mundo espiritual - nada mais são do que apenas o momento reflexional de cada um, num determinado instante da Vida, numa determinada existência. Assim, podemos ter sido protestantes em outra encarnação, por exemplo, (continuamos a protestar, no entanto!)e nesta, quem sabe, um monge tibetano...
Encarar a "morte" a "perda" ("perda" sempre com aquele viés, digamos, "doce" dos pronomes possessivos, tão em voga em nossa pobre sociedade CAPRICHOSA, ainda acostumada com os "eus", os "meus"...) e outras coisas materiais sob ponto de vista material é realmente uma tarefa árdua, pois constantemente estamos frente a frente com as nossas "manias", nossos "caprichos"... Esse EGOÍSMO, chaga da Humanidade. Sabe aquelas estórias de "sonho de consumo", "inveja boa" (como se um defeito pudesse tornar-se uma virtude), "mal necessário" (como se houvesse necessidade de qualquer mal) que se dissemina por aí? Pois é, é por aí que o "CALDO ENTORNA" (não nas suas receitas, é claro)... Mas, como costumamos dizer, o Espiritismo MATOU A MORTE, e isto traz consequências em todos os campos do pensamento, notadamente neste "modus vivendi" nosso de cada dia... É... A "COISA" não termina por aqui, não... Porque, se assim NÃO FOSSE, o destino de todos nós seria, INEXORAVELMENTE O MESMO, não é mesmo? Patrícios e plebeus, senhores e escravos, burgueses e proletários, "kardecistas" e "bruxos", "Edir Macedo" e "RR Soares", a beata do 48 e o ateu do 54, percebe?...Ah, ia esquecendo... Natimortos e "vingados", doentes congentes e saudáveis, esquizofrênicos e "normaizinhos"...
Morre o corpo físico, máquina muitas vezes desgastada pelo uso do próprio espírito aí encarnado...
O Espiritismo não é mesmo uma religião, mas antes uma FILOSOFIA, COM BASE NA CIÊNCIA, com consequências no mundo moral.

E assim vamos VIVENDO, todos os dias MORRENDO, aos poucos...

Cremos não seja a RECEITA IDEAL, de um Chef renomado, mas é o que temos, por ora, para o café da manhã (ou jantar, dependendo do horário)...

FIQUE COM DEUS (sem GÊNERO,apenas a entidade, O Ser...)

Socorro Melo disse...

Oi, Elaine!

Interessante sua reflexão.
Também prefiro pensar que a morte é uma renovação, uma transformação... E como ninguém, na verdade, sabe o que ocorre após a morte física, apenas se supõe, é bom pensarmos segundo a nossa fé e pronto, né?

Um abraço
Socorro Melo

Maluxa disse...

Ola querida Elaine,
Confesso que não li o Post...não estou aberta ao tema..hoje.
Mas a foto dos legumes está maravilhosa. Aquele rosa no meio dos verdes hummmm nham nham
Deixo um beijinho e um abracinho
Lu *

Calu disse...

Elaine,
concordo com vc, tbém acho que não im portam as variadas concepções sobre os"lugares pós-morte". Cada um é livre para acreditar no que lhe aprouver.Para mim, o importante é a consciência do ciclo vital: vida-morte-vida que eu espero seja saudável e longo e que na 3ª fase eu seja um benefício aonde estiver.
Adorei tua participação;aqui e lá nos coments. do Fractais.
Bjos, Bjos,
Calu

RUTE disse...

Ai Elaine,
que bom que você incluiu seu irmão Alex nesta 7ªfase.
Ele é o máximo!!
Li tudinho o que ele comentou e identifiquei-me quase a 100% com as ideias que ele defende.
Até visitei o perfil...e também sou fã da Trilogia das cores de Krzysztof Kieślowski.
Gostei bastante do seu texto e ao que sei convém mesmo é aproveitar a vida dentro da liberdade que respeita a liberdade dos outros de igual forma.
Beijo além-mar.
Rute

Denise disse...

Tb sou Kardecista e não concordo com seu irmão. Nem todos vão para o umbral. E concordo com vc. Morremos a cada dia, células, partes de nós. Assim como nossos eus: criança, bebe, jovem, adulto. Tudo é mudança, transformação, movimento. E penso q a morte é mais um movimento. Muita paz!

Elaine Figueira disse...

Grata a todos pelos comentários. Este e um espaço de troca de opiniões e todas elas são respeitadas.

Rute, que bom que gostou dele! Eu também gosto muito.

Paz, felicidade, amor a todos.

Bel Rech disse...

Com muito humor este seu texto...independente de religião, o que importa é que a única coisa certa é a morte.Para onde vamos?!!Eu não sei, mas acredito que vou encontrar o paraíso e o melhor que tenho que fazer é amar o próximo e fazer o bem.Difícil, pois tenho certeza como ser humana, tenho muitos erros e se contar estou ralada...
Paz e bem

soninha disse...

Belo texto!Conciso e claro.parabéns.bjs e paz.

Bel Rech disse...

Aiaiaia...vim reler..
Paz e bem